quinta-feira, dezembro 08, 2005
Temos a ambição de marcas as pessoas, principalmente as mais próximas, com grandes feitos. O tempo passa, e percebo que as que mais me marcaram foram as que praticaram pequenas e importantes ações ao longo da vida. Como meu avô, Miguel Pedro.
“Seu Miguel”, como era conhecido, foi um homem do campo, da roça mesmo, incansável trabalhador. Nos seus últimos dias entre nós continuava levantando cedo, a procurar por sua eterna companheira, a enxada.
Outra grande companheira foi Dona Jovelina. Graças à Deus ainda conosco, mas saudosa de seu parceiro de caminhada, pai de seus doze filhos, educador com ela dos cinco que sobreviveram à fome e outras mazelas dessa vida tão severina.
Seu Miguel pouco conheceu dos netos, morando longe. Nós, ainda crianças ao visita-lo, conhecíamos um avô mais doce do que foi como pai, mas ainda assim, reservado.
Debaixo de frondosas mangueiras, cajueiros, pitangueiras, um avô que nos montava em bois e cavalos para que conhecêssemos a extensão de seus terrenos, conquistados com suor valoroso.
No mesmo período em que levou Ronald Golias e o eterno Agente 86 Don Adams, Deus chamou também Seu Miguel, guardando consigo pessoas sérias em fazer rir, e um homem simples que ria perante a dureza da vida.
Um homem pequenino, de pele curtida sol a sol, que quatorze anos atrás se despediu de mim na Rodoviária de Natal me chamando num canto, a desejar boa viagem. Me deu sua benção, e de sua mão uma bem enrolada nota de cinco cruzeiros, com a recomendação de ser para sempre feliz, e que respeitasse meus pais.
Muito tempo depois, descubro que meu avô havia feito o mesmo com minha irmã, mas a verdade não diminui em nada seu mérito:
Miguel Pedro, homem de bem, avô sem ressalvas.
Deixa saudades, e a certeza de que, onde estiver, está em Paz, olhando por nós.

Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 1:40 PM |


3 Comentários:


At quinta-feira, dezembro 08, 2005 6:23:00 PM, Anonymous Ivan 

Eu, que sempre fui um entojo, a duras penas emocionais descobri que as pessoas são um universo fascinante, de conquistas, anseiuos, conflitos, sonhos e muito ensino... Não é fácil manter-me assim todo o tempo. Mas esforço-me.

Vertentes de Mim: http://ijdlf.zip.net
Por Todos Os Lados: http://portodososlados.blogspot.com

At sábado, dezembro 10, 2005 2:47:00 PM, Anonymous Ivan 

É, Alekasandra... Quantos são aqueles que nos passam pela vida, e nem ao menos damos um mínimo valor. Sabe, relendo o que escreveu, me lembrei de vários episódios. Certa vez, numa esquina, vi uma moça de um rosto maravilhosamente belo. Quase m]nos trombamos, ela pediu mil desculpas e eu nem perguntei o nome dela, embora ela tenha sido tão simpática. Outra vez, deixei escapar quem poderia ser a mulher de minha vida, por meu orgulho desmedido e vergonha do que eu era e vivia. E foram tantos francos sorrisos que rejeitei, tantos choros ignorei, mesmo quando foi eu quem provoquei... Pois é, grande texto!


No Por Todos Os Lados, um texto sobre a crítica de mídia- http://portodososlados.blogspot.com

No Vertentes de Mim, mais um texto reflexivo- http://ijdlf.zip.net

At domingo, dezembro 11, 2005 12:26:00 PM, Anonymous Carlito 

Seu avó está bem, minha querida, tenha certeza que olha por você.
beijo



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.