segunda-feira, novembro 28, 2005
- Cara de quem quer perguntar alguma coisa...
- Tudo, e ao mesmo tempo, nada.
- Poxa! Não respondi ao que me perguntou? Olha que eu fui até sincero nas respostas.
- Falou sobre meu trabalho, e nada sobre o que quero saber: sobre você.
- Acredite, não tenho nada de interessante para contar.
- Vê o que eu vejo? Você é uma incógnita, um enorme ponto de interrogação. Não ria, é sério. Nunca me sinto completamente à vontade perto de ti. Sempre tenho a impressão de sair da conversa nua, entregue, desarmada, e sem saber nada sobre você.
- Não sou um cara excepcional. Vai se decepcionar com o que pode descobrir.
- Me dê ao menos a chance de perceber isso sozinha.
- Não posso.
- E por que não?
- Não gosto de me sentir entregue e desarmado. É muito perigoso. E pelo que imagino, você fica bem melhor nua do que eu.

Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 1:39 PM |


2 Comentários:


At quarta-feira, novembro 30, 2005 10:14:00 AM, Anonymous Roberto 

Olá, moça.
Diálogos inteligentes, gostei.

bj

At sexta-feira, dezembro 02, 2005 11:03:00 PM, Anonymous Ivan 

Preciso vir mais vezes aqui e encontrar umamaneira de falar com você.

Um beijo.

Por Todos Os Lados, traz algumas de minhas memórias: http://portodososlados.blogspot.com

Vertentes de Mim, traz as últimas de meu filhão: http://ijdlf.zip.net.



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.