terça-feira, dezembro 19, 2006
90 anos de vida e poesia
VI

Descobri aos 13 anos que o que me dava prazer nas
leituras não era a beleza das frases, mas a doença
delas.
Comuniquei ao Padre Ezequiel, um meu Preceptor,
esse gosto esquisito.
Eu pensava que fosse um sujeito escaleno.
- Gostar de fazer defeitos na frase é muito saudável,
o Padre me disse.
Ele fez um limpamento em meus receios.
O Padre falou ainda: Manoel, isso não é doença,
pode muito que você carregue para o resto da vida
um certo gosto por nadas…
E se riu.
Você não é de bugre? - ele continuou.
Que sim, eu respondi.
Veja que bugre só pega por desvios, não anda em
estradas -
Pois é nos desvios que encontra as melhores surpresas
e os ariticuns maduros.
Há que apenas saber errar bem o seu idioma.
Esse Padre Ezequiel foi o meu primeiro professor de
gramática.

(Manoel de Barros, em "Mundo Pequeno", (O Livro das Ignorãças))



"Parece que eu deveria ficar no meu canto comendo mingau.
Porém minha cabeça ferve de projetos."



(Pelo menos um tantinho, espero um dia poder errar bem o meu idioma como faz o poeta.)


Parabéns, Nequinho!




Marcadores: ,

 
postado por Aleksandra Pereira às 8:20 PM |


5 Comentários:


At quarta-feira, dezembro 20, 2006 7:43:00 PM, Anonymous Isa Maria Lisboa 

Ô, coisa linda, Alê! Adoro Manoel de Barros!


beijo

At quinta-feira, dezembro 21, 2006 12:36:00 PM, Blogger Jannine L'Amour 

Vc já escreve bem! E claro que chega lá só que do seu jeito ;). Beijão e obrigada pela mensagem lá no koukla.

At quinta-feira, dezembro 21, 2006 12:56:00 PM, Anonymous denise 

Oi, Alê
Adorei esta parte:
"bugre só pega por desvios, não anda em estradas - Pois é nos desvios que encontra as melhores surpresas e os ariticuns maduros."

coisa mais certa...

Ah, estou em novo endereço:
http://drang.wordpress.com/

beijo, menina

At quinta-feira, dezembro 21, 2006 7:13:00 PM, Blogger Felipe 

Que estilo tem o Manoel! Gostei muito do conteúdo do que ele diz e da forma como ele o faz. Lindo de mais. Fiquei imaginando isso no teatro, esse falar que parece pertencer a uma outra realidade.

Mas o lance meu agora, Alê, é te convidar para dar um "pulinho" assim que puderes lá no Liperama, pra ver a mensagem de Natal que fiz para os amigos - que é o seu caso - e quem mais estiver a fim de ler.

Beijo grande



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.