A frase acima nos foi deixada por Ghandi, e resume a minha resolução em abandonar a minha antiga dieta de carnes e me tornar vegetariana.

Duas pessoas importante nesta decisão - e que nem sabiam disso - foram a Andréa N do "Nothing simple is ever easy", e a Denise Arcoverde, do "Síndrome de Estocolmo". A Andréa, com os lindos posts sobre adoção de cães e a febre de cães feitos sob medida, e os abrigos cheios de pequenos necessitando de conforto e carinho. E a Denise, uma fonte fértil e transbordante de informação, com uma nota divertida sobre o Dia do Orgasmo e a Pamela Anderson.

Sei que não foram os textos somente. A vontade já era grande em fazer alguma coisa, e no último dia 25, ao mesmo tempo que algo se quebrou dentro de mim ao navegar o site do PETA (Pessoas pelo tratamento ético de animais), algo ganhou corpo, ganhou expressão, e a minha forma de manifestar meu repúdio pelos maus tratos aos animais, de poder fazer algo por eles, mesmo que pareça pouco para quem vê.

Podem estar questionando,

Que Diferença Faz Mais Um Vegetariano? Os Mesmos Animais Vão Continuar a Ser Criados e Abatidos Para Consumo!

Nós acreditamos que faz toda a diferença! Desde logo porque acreditamos que todo o sofrimento que possa ser evitado, por insignificante que possa ser, vale a pena ser evitado.

Em segundo lugar, é um fato que o mercado se regula pela lei da oferta e da procura; logo, se houver menos procura para a carne, a oferta irá eventualmente diminuir, diminuindo por conseguinte o número de animais explorados e mortos para consumo.

Em terceiro lugar, achamos que é nosso dever ético contribuir, através das ações e do exemplo, para a mudança que queremos ver na sociedade. Como disse Gandhi, "Sê a mudança que queres ver no mundo".

Esse texto final foi extraído do site da Associação pelos Animais, e resume perfeitamente o que quero dizer. A minha primeira grande barreira, além da adaptação (que está sendo tranquila!), foi vencer a descrença dentro de casa mesmo, em família, mostrar que é uma decisão séria, pensada, com um motivo importante, por ter algo a dizer.

Algumas pessoas torceram o nariz quando souberam, me questionaram se eu não tinha uma causa mais importante pela qual brigar, como a pobreza ou fome no mundo. Claro que são questões tristes e gritantes em sua urgência, mas as mesmas pessoas que me questionaram, não fazem nada por ninguém, seja por um animal, por um desabriagado, por um vizinho necessitado.

Fazemos o que podemos, mas o importante é fazer. Já vemos tão pouco caso com seres humanos, só por serem menos favorecidos, se ficarmos escolhendo "quem é mais importante que quem", pesando vidas em balanças, não chegaremos a lugar algum.


"A única revolução possível é dentro de nós.”
Gandhi.

Aqui no Brasil, conheçam o trabalho do Instituto Nina Rosa - Projetos por amor à Vida:





Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 8:34 PM |


3 Comentários:


At segunda-feira, junho 12, 2006 10:04:00 AM, Anonymous Alexandre 

Respeito sua decisão e a acho corajosa Aleksandra! Espero que os outros também te respeitem por isso. Cada um cuida da própria vida e sabe exatamente o que é bom para si mesmo! Somos adultos e vacinados! Respeito pelos outros começa nas mínimas coisas.

At quarta-feira, junho 14, 2006 5:47:00 PM, Blogger Andréa N. 

Ai, minha amiga, que noticia maravilhosa!!!! To emocionada de ter colaborado pra sua decisao, mesmo que seja um pouquinho. Alek, voce nao vai se arrepender. Eh muito bom nao fazer parte da matanca de animais. Da o maior orgulho!! Cuide muito bem da sua dieta pra nao ter anemia, ta bom? Muita gente que abandona o habito de comer carne acaba tendo de voltar por ordens medicas, porque precisa de ferro e proteina. Coma muita soja (tudo de soja) e tambem feijao, espinafre e nozes (amendoas, etc.). Faca refeicoes coloridas, ou seja, balanceadas, e vc nunca vai ficar doente. Eu NUNCA fiquei. Te mando receitinhas se vc precisar. Eh soh avisar. Beijao verde-amarelo e PARABENS pela decisao!

At sexta-feira, junho 16, 2006 12:23:00 AM, Blogger Sandman of the Endless 

Minha linda, hoje, dia 16 de junho, comemora-se o Bloomsday. Não via nenhuma programação especial por aqui em Brasília, embora tenha procurado e criticado a apatia dos locais... Fica aqui o registro. Irei trabalhar com o Ulysses à tiracolo. Acho que vou comprar uma Guiness e, entre uma bebericada e outra, lerei trechos daquela enigmática obra! Um beijo grande. ;P



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.