quinta-feira, novembro 02, 2006
"Não existe isso de homem escrever com vigor e mulher escrever com fragilidade. Puta que pariu, não é assim. Isso não existe. É um erro pensar assim. Eu sou uma mulher. Faço tudo de mulher, como mulher. Mas não sou uma mulher que necessita de ajuda de um homem. Não necessito de proteção de homem nenhum. Essas mulheres frageizinhas, que fazem esse gênero, querem mesmo é explorar seus maridos. Isso entra também na questão literária. Não existe isso de homens com escrita vigorosa, enquanto as mulheres se perdem na doçura. Eu fico puta da vida com isso. Eu quero escrever com o vigor de uma mulher. Não me interessa escrever como homem."


Lya Luft, grande mulher e fonte de inspiração.

Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 1:54 PM |


3 Comentários:


At sexta-feira, novembro 03, 2006 12:24:00 PM, Blogger Aleksandra Pereira 

Ontem assisti a uma entrevista dela ao Globonews, falando sobre transgredir por ser fora dos padrões da moda (e muito bonita por sinal) e sobre envelhecer e não ter medo disso. Maravilhosa.

At sábado, novembro 04, 2006 7:51:00 PM, Blogger Felipe 

Falou, grande Lya!!!
Blz de recorte, Alê!!!
Beijos para as duas!



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.