sábado, maio 28, 2005
Tic.Tac.
28. Vinte e oito anos.
Ao completar quinze, só pensava em meus 18,
e o que conquistaria até lá.
Aos 18, já sonhava com os 21.

21 anos. Diploma do superior nas mãos,
imaginando que aos 25 teria tudo o
que havia desejado na vida.

O tempo passa. Caminham os ponteiros do relógio.
E o terceiro grande ciclo prestes a se completar,
trazendo com ele os 28 anos.

Vinte e oito. Entrando no jardim da casa dos 30.
Ave, Balzac!

Hoje, da altura dos meus 27 e tantos,
olho para trás, tentando ler em minhas pegadas
o caminho que trilhei pra mim aos 15, 18, 21, 25.
Desejos que mudaram, outros acrescidos, alguns renegados.
Mais perto de uns, mais distante de outros.

Mas a idade também, de certa forma,
faz com que procuremos ver as coisas,
as mesmas e outras,
com outros olhos:

enxergar as perdas como recomeços;
as tristezas, como aprendizado.

E, principalmente,
o + 1 denunciado em minha identidade
como experiência, e não só mais fios
brancos em meus cabelos.

A vida não continua.
Se inicia.

Tic.Tac.



Sei que deveria e seria mais lógico até postar este texto após completar os 28, mas, sabe como é, sou apressada, já pensando nos 30...

Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 1:33 AM |


2 Comentários:


At sábado, maio 28, 2005 4:09:00 AM, Anonymous Drika 

Oi, Aleksandra! Vi teu blog no "blogautores". Gostei muito dos teus escritos. Adorei ver o texto do Michel Melamed por aqui, gosto muito dele (estou lendo
"Regurgitofagia).
Voltarei mais vezes! bjos!
:-)

At terça-feira, maio 31, 2005 2:42:00 PM, Anonymous Alexandre 

Legal ver mais alguém de Santos nos microcontos, abraços!
Apareça lá no meu blog!!!!



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.