sábado, outubro 01, 2005
- Acho que a gente podia dar uma boa melhorada em uma parte do texto.
- É? Qual?
- Aquela conversa que eles estão tendo no bar, ele podia chegar assim, de repente, vindo do banheiro (que ele foi só para respirar e tomar coragem), e dizer prá ela que ele também gosta dela. Que ele gostou dela desde a primeira vez que ele a viu, mas que ficou na dele. E que também ele achava que ela tinha namorado, e ainda, que ela nunca iria se interessar por um cara assim, como ele.
- Como assim, "como ele"?
- Sei lá. Feio, sem graça.
- Mas ela pode responder então que o acha muito atraente.
- Ela acha?
- Acha.
- Então ela é doida mesmo (...) Mas, será que depois de dizer tudo isso, ela vai acreditar que ele já gostava mesmo dela e antes dela dizer que tava de olho nele?
- Acho que ele tá quase convencendo ela.
- É?
- Falta só um pouquinho assim...
- Aé? Então o que ele precisa dizer para ela acreditar 100%?
- Acho que falar não. Ele poderia dar um beijo nela. Não precisa de mais diálogo. Nessas horas a gente nunca sabe o que dizer mesmo...

Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 12:27 AM |


2 Comentários:


At sábado, outubro 01, 2005 12:31:00 AM, Anonymous Anônimo 

This blog came up when I was looking for stuff on "Screenplay Analysis". That's sort of odd, but I guess these engines can find connections in many ways. I'm a screenwriter, script consultant, and author, so I'm always keeping my eyes open for interesting people, stories, ideas, etc...so thanks for being out in the blog-o-sphere!

At sábado, outubro 01, 2005 12:56:00 PM, Blogger Andréa N. 

Há! Muito bom isso; delicia de diálogo!



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.