segunda-feira, agosto 29, 2005
- O que foi?
- Nada.

Pausa.

- Me lembrei de uma tarde, tão parecida com essa...
- Eu sei. A primeira vez que jantamos juntos.
- A gente caminhou demais, e nos perdemos. Você ficou tão nervosa...
- E você, rindo da minha cara! Aí você colocou a mão no meu ombro, e me olhou com um ar tão feliz! Nunca me esqueci do teu olhar ali, naquele momento.
- Então você disse: “nós nos perdemos, seu bobo!”.
- E você olhou bem nos meus olhos e falou: Não, eu é que estou perdido.
- Por você.
- Pra sempre.
- É, pra sempre. Pena que o para sempre da realidade não seja igual ao das histórias: e viveram felizes para sempre.
- Até a primeira briga.

Marcadores:

 
postado por Aleksandra Pereira às 8:39 PM |


2 Comentários:


At sexta-feira, setembro 02, 2005 9:02:00 AM, Anonymous Alexandre 

Legal, gostei do continho!

At sábado, setembro 03, 2005 6:19:00 PM, Anonymous Ivan 

Faz mesmo tempo que não venho aqui. A situação me é desfavorável ainda, por isso a escassez de minhas presenças neste mundo blogueiro que para mim, é entretenimento, para dizer o mínimo. Vi seu comentário no Vertentes de mim, e agradeço o carinho do retorno. Gostei do textículo (sic) ao lado, onde se descreve. Gostei daqui e pretendo vir mais, se permitir. Como perdi muita coisa, vou vasculhar um pouco mais, para recuperar um pouco do que ainda não vi. O outro blog:
HTTP://SPACES.MSN.COM/MEMBERS/VERTENTESMUSICAISDEMIM



LÁGRIMAS LAVADAS© 2006, por Aleksandra Pereira. All rights reserved.